quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Caixa inaugura agências na região


1995, um ano de triste memória para o Brasil, a Caixa e o Sul da Bahia. Seguindo determinação governamental, a direção da Caixa define pelo fechamento das agências de Gandu, Ubaitaba, Ubatã, Itajuípe e Coaraci. A agência de Camacan é transformada em posto em atendimento.

Prevendo que o objetivo final também era o fechamento da agência de Camacan, a diretoria do Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região partiu para a mobilização, sensibilizando os segmentos organizados da sociedade camacaense. Num movimento inédito que em protesto fechou o comércio central da cidade por uma hora, com a participação de vereadores, bancários, comerciantes, sindicalistas e clientes da Caixa, a comunidade da cidade demonstrou o seu repúdio. Porém, a repercussão foi mínima, uma vez que não interessava à mídia a divulgação da luta contra o enfraquecimento e a privatização das empresas estatais.

Reparando um erro histórico, o governo Lula abriu novas agências da Caixa. Aqui na região foram reabertas as de Gandu, Ubaitaba, Camamu e Camacan, após longa mobilização de sindicalistas, vereadores, prefeitos e deputados.

Nosso reconhecimento ao ex-vereador pelo PCdoB de Itabuna, Luís Sena e deputada federal Alice Portugal (PCdoB/BA) que muito se engajaram nessa causa.

A intervenção do estado na economia é benéfica ao país e salutar a nação no sentido de combater as desigualdades regionais e promover o desenvolvimento com a valorização do trabalho e o respeito ao meio ambiente.

Camacan e as demais cidades estão de parabéns por contar a partir de agora com uma agência da Caixa Econômica Federal, o banco social do governo.

O presidente do Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região, Jorge Barbosa, esteve presente nas inaugurações das agências de Gandu, Ubaitaba e Camacan.


Fonte: www.linguadefogo2.wordpress.com - o blog dos bancários

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Sindserv garante vitória para os servidores do Hospital de Base









Enquanto os funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna e de outros hospitais da região ainda não receberam o 13º Salário, os servidores e funcionários do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (HBLEM) garantiram, após três dias de greve e de luta organizada pelo Sindserv, o pagamento dos salários atrasados e do 13º Salário para toda a categoria. Após a confirmação do pagamento na conta corrente, os trabalhadores decidiram em assembléia ontem à tarde (29/12) pelo fim da greve.

“Foi uma grande vitória para nós trabalhadores do Hospital de Base que já não agüentamos mais este tipo de situação. A nossa greve demonstrou que não queremos mais a insegurança e os prejuízos causados pelo atraso no pagamento de nosso direito sagrado”, desabafa Levi Araújo, funcionário do HBLEM e diretor do Sindserv.

Mesmo com o acordo celebrado em março deste ano com mediação do Ministério Público do Trabalho (MPT), a Prefeitura intransigentemente agindo fora da lei, não garante o pagamento dos salários dos servidores no quinto dia útil de cada mês conforme determinação do MPT.

“Essa situação não pode continuar assim. Enquanto não houver uma punição para a administração municipal que não cumpre acordos, nem mesmo celebrado na sede de uma instituição federal, como foi no Ministério Público, os trabalhadores agirão lançando mão do direito constitucional de greve” garante Karla Lúcia, presidenta do Sindserv.

O Sindserv parabeniza a todos os trabalhadores e trabalhadoras do Hospital de Base pela vitoriosa mobilização e pela firmeza em não recuar enquanto a administração municipal não realizasse os pagamentos. Foram várias reuniões com o executivo municipal que prometia solucionar as pendências com o funcionalismo e não cumpria, demonstrando um descaso e desrespeito com a categoria.

Agradecemos também os apoios dos sindicatos dos Bancários, Comerciários, Sindiacs e à Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB/Regional Sul da Bahia.

O nosso Sindicato deseja a todos e todas, funcionários e servidores do Hospital de Base e da Prefeitura de Itabuna um ano novo de lutas inspiradoras.

Que venha 2011!

Sindicato é pra lutar!

SINDSERV – SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ITABUNA

FILIADO À CENTRAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DO BRASIL – CTB

ACESSE O BLOG DO SINDSERV: www.sindservidoresctb.blogspot.com

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Greve no Hospital de Base continua









Apesar da promessa de pagamento do 13º Salário para os servidores que ganham até R$ 790,00 (setecentos e noventa reais) até o final desta tarde e dos salários mais o décimo terceiro para o restante da categoria até amanhã, os servidores municipais decidiram em assembléia permanecer em greve até quarta-feira, 29 de dezembro. A promessa da administração municipal se deu após a confirmação do repasse da verba estadual realizada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab).

“Permaneceremos em greve até que a Prefeitura pague o que deve a todos os servidores”, garante Wilmaci Oliveira, diretora do Sindserv.

Os servidores lotados no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (HBLEM) convivem com atrasos de salários há muito tempo e sem data certa para o recebimento. Em março deste ano, através da mediação do Ministério Público do Trabalho foi firmado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) no qual a Prefeitura se comprometia a realizar os pagamentos até o quinto dia útil de cada mês, o que não foi cumprido.

Sem o cumprimento do TAC, a administração municipal também deixou o HBLEM à própria sorte. O sucateamento do hospital foi aprofundado a ponto de faltar todo tipo de material, até mesmo água mineral. Isso sem falar na desativação da lavanderia e comprometimento do funcionamento da cozinha.

Esta situação fez com que os movimentos sociais deflagrassem o Movimento pela Estadualização do Hospital de Base, por entender que essa é a melhor solução para a grave crise na saúde de Itabuna, já que o governo do Estado já sinalizou pela estadualização. Mesmo nessa situação caótica, o prefeito José Nilton Azevedo (DEM) não quer a estadualização.

SINDSERV – SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ITABUNA

FILIADO À CTB

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Pagamento da Ação Coletiva da Revista Íntima – Intervalo Intrajornada

Aconteceu no último dia 22 de dezembro na sede da entidade sindical o pagamento dos beneficiários da ação da Revista Íntima – Intervalo Intrajornada referente ao mês de novembro/2010.
Foram mais 64 funcionários e ex-funcionários da Trifil beneficiados pela Ação Coletiva do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Têxteis e Calçadistas do Sul e Extremo Sul da Bahia – SINTRATEC, contra a Itabuna Têxtil S/A – Trifil, pela a famigerada revista íntima e irregularidade do intervalo intrajornada (intervalo de refeição e descanso).
Os pagamentos da ação iniciaram em janeiro de 2008 e hoje já foram contemplados 938 pessoas.

SINTRATEC 11 ANOS NOS DEFENDENDO INTERESSES DOS OPERÁRIOS E OPERÁRIAS TÊXTEIS E CALÇADISTAS DO SUL E EXTREMO SUL DA BAHIA

CTB comemora saída de Meirelles e lamenta manutenção dos juros em 10,75%

A última reunião do Comitê de Política Econômica (Copom) do Banco Central em 2010, realizada nesta quarta-feira (8), teve como resultado a manutenção da taxa de juros em 10,75% ao ano. O encontro marcou a derradeira participação do presidente do BC, Henrique Meirelles, no comando da instituição – a partir de 1º de janeiro seu cargo será ocupado por Alexandre Tombini.
A reunião desta quarta-feira também foi a última realizada durante os dois mandatos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Apesar de os juros brasileiros ainda estarem no topo da lista de países com as maiores taxas do mundo, o avanço obtido nos últimos oito anos é inegável.
Aos números: no começo de 2003, Lula assumiu a Presidência com uma taxa de 25%, parte da herança maléfica deixada pelo governo FHC. Ao final dos primeiros quatro anos, a taxa estava em 13,25%. É consenso entre partidos de esquerda, movimentos sociais, centrais sindicais e outras forças progressistas que o avanço poderia ter sido maior, mas a discrepância entre os dados faz com que Dilma Rousseff assuma a Presidência em um patamar muito mais confortável.
Para Wagner Gomes, presidente da CTB, é motivo de comemoração a saída de Meirelles do comando do BC. No entanto, ele esperava que a última reunião do Copom sob o governo Lula pudesse trazer um resultado mais favorável para o povo brasileiro. “O Copom poderia ter entregado à nova presidente um cenário um pouco mais favorável, com uma redução da Selic de ao menos 0,25%”, disse.
O presidente da CTB entende Dilma terá totais condições de enfrentar a questão dos altos juros praticados no Brasil. “Ela foi eleita tendo como mote de campanha a questão do desenvolvimento e com o compromisso do crescimento econômico. Como economista, a presidente eleita vai ter a sensibilidade de adotar políticas que ajudem nesses projetos. A redução da taxa de juros será fundamental para isso”, afirmou Wagner Gomes.

Portal CTB

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Ameaça de greve na Prefeitura cresce a cada dia

Após a greve de advertência ontem, 22/12, no Hospital de Base, os servidores paralisaram as atividades da ADEI hoje pela manhã. Durante o protesto dos trabalhadores, os secretários de Planejamento, Maurício Athayde e o de administração, Gilson Nascimento prometeram pagar os salários de novembro e o 13º Salário amanhã, dia 24 de dezembro.
“Nós permaneceremos em estado de greve. São muitas promessas e acordos rasgados pela administração municipal e não podemos confiar em mais uma falácia deste governo que já demonstrou que não tem compromisso com os servidores”, desabafa Wilmaci Oliveira, diretora do Sindserv.
Ficou decidido com a categoria que caso a Prefeitura não cumpra com o prometido, será deflagrada greve por tempo indeterminado de todos os servidores municipais a partir da próxima segunda-feira, dia 27 de dezembro.

SINDSERV- SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS
FILIADO À CTB

sábado, 18 de dezembro de 2010

Mais de 2,5 milhões de empregos formais gerados até novembro






O Ministério do Trabalho anunciou a geração de 2.544.457 empregos formais de janeiro a novembro deste ano. Com isso, a meta de 2,5 milhões de empregos formais previstos para o ano foi ultrapassada. Entretanto, é bom lembrar que dezembro é sempre um mês com resultado negativo no mercado de trabalho formal

Somente em novembro, houve geração líquida de 138.247 postos de trabalho com carteira assinada segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Foram 1.576.872 admissões e 1.438.625 desligamentos, resultado que evidencia a flexibilidade e alta taxa de rotatividade do mercado de trabalho brasileiro. Em outubro, foram gerados 204.804 empregos formais.

O comércio teve saldo recorde, com geração líquida de 131.366 vagas. Também foram recordes os resultados na indústria extrativa mineral (1.253) e serviços industriais de utilidade pública (1.155). Por outro lado, o Caged mostrou perda líquida na agricultura (-57.781), indústria de transformação (-9.193) e construção civil (-7.851), num sinal de desaceleração da produção nesses ramos.

Apesar do saldo positivo de novembro, ele foi menor do que o de novembro de
2009, quando foram gerados 246.695. O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, atribuiu a queda a dois fatores: a entressafra e o câmbio. “A queda do dólar desacelerou a produção nacional e reduziu a contratação”, explicou. O estado que gerou o maior número de vagas foi o Rio de Janeiro (31.965) e a região com o maior número de novas vagas de trabalho foi a Sudeste (52.114).

O comportamento do mercado de trabalho acompanha a evolução da economia. Se esta cresce, o nível de emprego aumenta, se estagna ou declina a oferta de postos de trabalho vai na mesma direção. O crescimento da economia tem, por esta razão, uma importância extraordinária para o movimento sindical e a classe trabalhadora.

Com agências

Pesquisa revela aprovação recorde de Lula e confiança em Dilma


Pesquisa Ibope encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgada no dia, 16/12, em Brasília, mostra que o governo Lula encerra seu mandato com recorde de avaliação positiva: 80%. Na avaliação anterior, o percentual era de 77%.A aprovação pessoal do presidente também apresentou recorde histórico, com 87% de aprovação – o maior desde 2003. Na pesquisa anterior, a avaliação pessoal positiva de Lula chegou a 85%.

“Quando você olha a série histórica [dos dois mandatos do presidente Lula], vê-se que em 2005, houve um grande queda na avaliação do governo, enquanto no segundo mandato, os dados positivos da economia justificam que a população o avalie melhor que no primeiro”, observou o gerente executivo de Pesquisa CNI/Ibope, Renato da Fonseca.

Segundo a CNI/ Ibope, a avaliação positiva do presidente cresceu em todas as regiões do país: no Nordeste (de 92% para 95%), no Norte e Centro-Oeste (de 88% para 90%), Sudeste (de 81% para 85%) e Sul (de 78% para 80%).

Com relação à aprovação do governo, o Nordeste continua sendo a região com melhor avaliação: 86% da população considera o governo do petista como “bom” ou “ótimo”; seguido das regiões Norte e Centro-Oeste (81%); Sudeste (78%) e Sul (75%).

O índice de confiança na figura do presidente também teve elevação: de 81% contra 76% na pesquisa anterior de setembro, quando houve queda com relação a de junho, quando estava em 81%.

Das nove áreas de atuação do governo avaliadas, sete obtiveram avaliação positiva, com destaque para o setor de combate à pobreza, setor mais bem avaliado com 71% de aprovação (o índice anterior era de anterior 66%) e combate ao desemprego, com 66% (o índice anterior era de 64%).

O destaque negativo ficou para as áreas de saúde, com 54% de desaprovação (o percentual anterior era de 57%) e impostos, com 51% de avaliação negativa (manteve o mesmo índice da pesquisa anterior).

Quando questionados sobre os temas mais lembrados no que se refere às ações do governo Lula, os entrevistados indicaram, espontaneamente, as ações das Forças Armadas no Rio de Janeiro no combate ao tráfico de drogas (com 32% das citações). Na sequência, foram lembrados os anúncios da formação do novo governo e os problemas com a aplicação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

62% dos brasileiros acham que Dilma fará um bom governo


O levantamento do Ibope também procurou saber a expectativa da população em relação ao futuro governo da presidente eleita Dilma Rousseff. A pesquisa aponta que 62% dos brasileiros acham que Dilma fará um bom governo. O percentual dos que acham que o governo Dilma será bom é maior do que o percentual dos eleitores que votaram na candidata no segundo turno: Dilma foi eleita com 55.752.529 de votos, ou 56,05% dos votos válidos.

Segundo a pesquisa, 19% dos entrevistados acreditam que o próximo governo será regular e 9% avaliam a futura gestão como ruim ou péssima.

Comparando o governo de Dilma com o governo Lula, 18% dos entrevistados avaliaram que o governo Dilma será melhor, 58% acreditam que será igual e 14% acham que será pior.
“A gente percebe uma expectativa significativa da população de que o governo Dilma seja melhor que o governo Lula ou, pelo menos, igual. Isso incluindo eleitores que votaram no [candidato do PSDB José] Serra”, ressaltou Fonseca.

De acordo com a pesquisa, a maioria da população gostaria que as prioridades do novo governo fossem saúde (51%), educação (11%) e segurança pública (7%).

Por região, os moradores da região Nordeste são os mais otimistas com relação ao próximo governo: 70% acreditam em um bom mandato de Dilma. Em seguida, os mais otimistas são os moradores de municípios com até 20 mil habitantes, 65% de expectativa positiva.

A pesquisa de opinião foi realizada com 2002 eleitores de 140 municípios brasileiros, entre os dias 4 e 7 de dezembro. Tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e intervalo de confiança de 95%.

Fonte: UOL

SINTRATEC paga mais uma parte das ações coletivas

O Sintratec pagou mais um repasse das ações coletivas para os devidos beneficiários, empregados e ex-empregados da Trifil, a saber: Revista Intima/Intervalo Intrajornada, Insalubridade e Periculosidade e Multa de Descumprimento

O pagamento foi realizado no dia 17 de dezembro a 91 contemplados. A reunião aconteceu no auditório do Sindicato dos Comerciários com a presença dos diretores da entidade sindical, Jeser Cardoso, Leandro Cerqueira, Juraci Ribeiro, Irani Gomes e Marta Faustino.

Os beneficiários das ações podem obter informações a cerca dos pagamentos pelo telefone (73) 3212-4851 ou mande uma mensagem com seu nome completo e telefone para o e-mail sintratec_@hotmail.com, que responderemos.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Funcionários do Hospital de Base podem parar dia 21


Os servidores e funcionários do Hospital de Base de Itabuna (HBLEM) estão revoltados com os constantes atrasos nos salários. Nem o acordo firmado entre o sindicato da categoria (Sindserv) e a Prefeitura com intermediação do Ministério Público do Trabalho (MPT) tem sido cumprido pela administração municipal. Pelo acordo, a Prefeitura se comprometia a pagar os salários todo quinto dia útil de cada mês.
Temendo ainda pelo não recebimento do 13º Salário, no dia 20/12, próxima segunda-feira, data limite para pagamento, os servidores e funcionários do HBLEM, em assembléia realizada no dia 14/12, decidiram que caso, os salários não estejam na conta na próxima segunda, a categoria realizará paralisação de advertência no dia 21 de dezembro, terça-feira.
“O Sindserv está organizando mais esta manifestação em apoio aos servidores do Hospital de Base, trabalhadores que sofrem com a insegurança e os prejuízos causados pelos constantes atrasos nos salários”, garante Karla Lúcia, presidenta do sindicato.

SINDISERV – SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ITABUNA
FILIADO Á CTB

Médicos e funcionários da Santa Casa preocupados com atraso nos salários


Funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna aliados e amigos da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB/Regional Sul da Bahia) estão revoltados com os atrasos constantes nos salários da categoria. Segundo denúncias, há cerca de quatro meses que o pagamento dos salários ultrapassa em muito o quinto dia útil de cada mês, sendo que em média só são depositados nas contas dos empregados em torno do dia 20. Até agora, o salário de novembro não foi depositado e os funcionários temem pelo pior: o não pagamento do 13º Salário, na próxima segunda-feira, dia 20 de dezembro, prazo legal para o recebimento.
Os funcionários da Santa Casa também não estão entendendo o posicionamento do Sintesi, o sindicato da categoria, em relação a este grave problema. Segundo os denunciantes, até agora não se viu uma nota qualquer da entidade sindical e nenhuma manifestação de repúdio contra a administração do hospital.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O presente de Natal maldito da Penalty para os trabalhadores


A Penalty demitiu cerca de 60 trabalhadores entre as unidades de Itabuna e Itajuípe neste mês de dezembro. Um presente maldito, principalmente nesta época das festas de Natal e de final de ano, quando as pessoas estão festejando com fé e esperança de dias melhores. Além de demonstrar falta de compromisso com o ser humano e a sociedade, a fábrica demite pais de família em plena campanha salarial, num verdadeiro ataque à organização dos trabalhadores na tentativa de enfraquecer o movimento por melhores condições de trabalho e melhores salários.

O SINTRATEC repudia esta medida desastrosa da Penalty, que vai infelicitar a vida de várias famílias e informa aos trabalhadores demitidos que devido ao período da nossa campanha salarial, que teve início no mês de novembro de 2010, a empresa não poderia demitir. No ato da homologação, as rescisões contratuais terão uma ressalva indicando este impeditivo. Portanto, os trabalhadores podem buscar o pagamento da multa na Justiça do Trabalho.

Definida a agenda das negociações 2011


Foi definida a agenda de negociações da campanha salarial 2011, entre o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Têxtil e Calçadistas do Sul e Extremo Sul da Bahia – SINTRATEC e as empresas Trifil, Malwee e Penalty.

Agenda

Negociação na Trifil: 13 de janeiro de 2011

Negociação na Malwee: 17 de janeiro de 2011

Negociação na Penalty: 20 de janeiro de 2011

Essas reuniões ocorrerão na sede do Sintratec, em Itabuna.

A representação dos trabalhadores definiram estas datas devido o retorno dos trabalhadores das férias coletivas. Por tanto, iremos retomar as negociações com a maioria dos trabalhadores, já em atividade.

“A diretoria do Sintratec afirma que a entidade estará disposta para a luta. Conclamamos aos operários e operárias que se engajem na luta em defesa das nossas propostas”, afirma Jéser Cardoso, funcionário da Trifil e presidente do Sintratec.

Campanha Salarial 2011

Unidade para garantir novos direitos.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

ALICE ENTREGA REIVINDICAÇÕES DO DCE DA UESC


Membros do Diretório Central dos Estudantes da Uesc (DCE Carlos Marighela) conseguiram fazer chegar às mãos do governador Jaques Wagner um documento no qual reivindicam verbas do Estado para a assistência estudantil. Quem transmitiu o pedido ao govenador foi a deputada federal Alice Portugal (PCdoB), no evento em que foram assinadas as ordens de serviço dos quatro primeiros lotes da Fiol.

A verba solicitada pelos estudantes é para custear despesas com residência, restaurante, creche e ampliação de bolsas de estudo. Nesta terça-feira, 14, representantes do DCE se reúnem com os secretários estaduais da Educação e da Fazenda para aprofundar a discussão.

Leia mais no: www.pimenta.blog.br

Ao elogiar transposição do São Francisco, Lula diz que fez o que nem dom Pedro I conseguiu fazer


Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Após percorrer os primeiros 16 quilômetros da Ferrovia Transnordestina e participar da assinatura de contratos de outros trechos da obra, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (13) que a Região Nordeste não pode mais ser vista como a “escória” do país.

Em discurso em Missão Velha, no Ceará, Lula citou as obras de transposição do Rio São Francisco como exemplo de sucesso do seu governo. “A transposição era um desejo de dom Pedro [Primeiro]. E nem dom Pedro conseguiu fazer, nem ele, que era imperador, filho do rei. Foi preciso vir o Lula, filho da dona Lindu, para fazer”.

Lula disse que parte do atraso dos indicadores sociais e econômicos do Nordeste em relação ao restante do país se deve à classe política da região. “Uma parte da elite do Nordeste era colonizada, tinha a cabeça que pensava pelo Rio de Janeiro e São Paulo, não pensava nos nordestinos”.

O presidente disse que os investimentos feitos no Nordeste nos últimos anos não tiraram recursos de outros estados do país e que era preciso trabalhar para reduzir as diferenças regionais, com fortalecimento da infraestrutura e das condições de crescimento da economia local.

“Não era justo que o Nordeste continuasse a ser tratado como se fosse a escória deste país. Não queremos mais ser exportadores de servente de pedreiro para São Paulo. A gente não quer ser só pedreiro, a gente quer ser engenheiro, a gente quer ser médico”.

Edição: Vinicius Doria

Começam as negociações da Campanha Salarial 2011


Acontece amanhã, terça, dia 14 e na quinta-feira, dia 16 de dezembro as primeiras reuniões negociações da Campanha Salarial 2011, entre o Sindicato dos Trabalhadores Têxteis e Calçadistas do Sul e Extremo Sul da Bahia – SINTRATEC e as empresas Trifil e Penalty.

“Esperamos que as fábricas aceitem nossas propostas que estão condizentes com o crescimento da economia do país e consequentemente dos lucros das empresas. Tá na hora da valorização do esforço dos trabalhadores e de fazer crescer também os salários e melhorar as condições de trabalho, garante Jéser Cardoso, presidente do Sintratec.

Negociação na Malwee - será a segunda reunião, pois a primeira aconteceu no dia 03 de dezembro na sede do sindicato profissional, onde a representação patronal apresentou a seguinte proposta:

> Manutenção do ACT atual;

> Reajuste salarial com base no INPC do IBGE;

> Piso salarial de R$ 565,00 (quinhentos e sessenta e cinco reais).

Os trabalhadores da Malwee recusaram a proposta patronal em assembléia realizada na porta da empresa em Camacan.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Sintratec: 11 anos de luta em defesa dos trabalhadores





Há exatamente 11 anos atrás nascia o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Têxteis e Calçadistas do Sul e Extremo Sul da Bahia, o Sintratec – com a finalidade de representar a incipiente classe operária que ora se formava nesta região.

A hiper exploração, as condições de trabalho degradantes, aliada ao preconceito dos patrões originários do Sul e Sudeste do país, fez com que dirigentes da então Corrente Sindical Classista (CSC), buscasse na categoria trabalhadores com perfil para a formação da nova entidade sindical e assim, em 16 de dezembro de 1999 foi fundado o Sintratec, inicialmente faziam parte da diretoria três operários da Trifil e sete da Kildare. A reação patronal foi imediata. A Trifil despediu todos assim que tomou conhecimento da fundação da entidade e a Kildare impôs a discriminação dos sindicalistas e partiu para demissão e renovação de quase todo o quadro funcional.

De lá para cá várias lutas foram empreendidas pelos trabalhadores tendo à frente o Sintratec como organizador e mobilizador da categoria. Vale a pena lembrá-las:

Vale transporte na Penalty

O Sintratec acionou o Ministério do Trabalho, através da DRT para garantir o benefício negado pela fábrica aos trabalhadores;

Fim da Coci (cooperativa das costureiras de Itajuípe)

O Sintratec denunciou ao Ministério do Trabalho e Emprego a cerca da situação dos trabalhadores em Itajuípe onde os mesmos recebiam entre R$ 30,00 e R$ 100,00 mensais, não tinham carteira de trabalho assinada entre outras irregularidades;

Revista Íntima na Trifil

Após inúmeras denuncias junto ao Ministério do Trabalho, a fábrica continuava praticando a revista íntima. O departamento jurídico do Sintratec entrou com ação coletiva e em 2007, a justiça condenou a Trifil pelo expediente e garantiu a vitória aos trabalhadores, que estão sendo indenizados;

Jornada de 12 a 14 horas

Os trabalhadores da Trifil e Penalty chegavam a ficar de 12 a 14 horas trabalhando, o que foi denunciado pelo Sintratec inúmeras vezes ao Ministério do Trabalho e assim as empresas regularizaram a jornada normal de trabalho;

Demissão de gestantes

O Sintratec conseguiu muitas reintegrações de mulheres que eram demitidas pela Trifil estando grávidas, o que não é permitido por Lei;

Meio ambiente de trabalho

Nesses onze anos as condições de trabalho nas fábricas tem sido objeto de inúmeras denúncias junto ao Ministério Público do Trabalho. Fatos que eram constantes há onze anos ainda acontecem atualmente, doenças ocupacionais, perseguição aos trabalhadores, atestados médicos negados, entre outros. Porem, tem diminuído as ocorrências devido as denuncias e ações coletivas. O Sintratec tem constantemente levado essas demandas para que o Ministério Público do Trabalho tome as devidas providências;

Ações na Justiça

O departamento jurídico do Sintratec tem conseguido vitórias importantes para a categoria. Além da ação da revista intima na Trifil, obtivemos vitórias também na ação do intervalo intrajornada, descumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho com o sindicato na questão do feriado de Corpus Christi de 2004, entre outras.

Nestes onze anos fizemos da luta e da mobilização da categoria nossa principal estratégia para melhorar os salários, as condições do meio ambiente de trabalho e a vida dos operários e operárias de nossa região. A nossa luta vai continuar com o apoio dos trabalhadores da Trifil, Penalty, Grendene e Malwee além da solidariedade classista dos sindicatos filiados à nossa central sindical, a CTB”, garante, Jéser Cardoso, presidente do Sintratec.


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Prefeito descumpre acordo com os servidores da Saúde

Mais uma vez o prefeito José Nilton Azevedo e equipe descumprem o acordo celebrado em reunião no mês passado com o Sindserv. Numa atitude que pode ser chamada de criminosa, a administração municipal não pagou os salários dos servidores que trabalham na área de saúde da Prefeitura.

Pelo acordo assinado com o prefeito e sua equipe a Prefeitura iria pagar os salários sempre no quinto dia útil de cada mês. O quinto dia útil deste mês de dezembro foi no dia 07, na última terça-feira. Os servidores esperavam os salários e quando acessaram as suas contas correntes no banco nada de salários... UM ABSURDO!

O Sindserv repudia mais uma vez a falta de responsabilidade do prefeito e de sua equipe e exige a imediata regularização dos pagamentos.

O Sindserv espera que a continuar esta situação de mentiras por parte da Prefeitura, que assina acordos e não cumpre, o Ministério Público do Trabalho tome medidas drásticas contra a administração municipal. Para a entidade, os descumprimentos de acordos assinados naquela instituição federal demonstram improbidade administrativa que precisa ser verificada com mais atenção dos órgãos federais competentes.

SINDSERV – SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPÁIS DE ITABUNA

FILIADO À CTB

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Hospital de Base de Itabuna


Movimentos sociais exigem estadualização já!

Entidades sindicais organizadas pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB/regional Sul da Bahia) e pela Central Única dos Trabalhadores (CUT/Regional), com apoio do movimento estudantil e de associações de moradores lançaram hoje o Movimento pela Estadualização do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (HBLEM).

Com concentração no jardim do Ó, os manifestantes realizaram uma caminhada no centro da cidade com distribuição de Carta Pública e adesivos da campanha. Às 10:30h aconteceu uma grande manifestação na praça Adami.

“O Hospital de Base há muito tempo vem sendo alvo de corrupção e má administração, num verdadeiro sucateamento de uma instituição que tem grande importância para a saúde de toda a nossa região. Isso prova que o município de Itabuna não tem condições morais, administrativas e financeiras para gerir o hospital e por isso a nossa sociedade deve se unir em torno da estadualização”, afirma Jorge Barbosa, coordenador do Movimento pela Estadualização do HBLEM.

Presidente Lula visita duas cidades da Bahia nesta sexta-feira


No último mês de mandato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz uma grande maratona de viagens pelo país para finalizar projetos. Nesta sexta-feira (10/12), Lula virá a Bahia para duas importantes atividades: o primeiro compromisso será na cidade de Ilhéus, no sul do estado, onde assinará ordens de serviços para o início das obras de quatro trechos da Ferrovia Oeste- Leste. Depois o presidente vem a Salvador e participa da formatura dos alunos do programa Todos pela Alfabetização (Topa).

A Ferrovia da Integração Oeste-Leste (Fiol), obra prioritária do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), ligará Ilhéus, a importante região produtora de grãos, ao Porto Sul. Além dos quatro trechos que terão as obras iniciadas com a assinatura da ordem de serviço pelo presidente, o primeiro lote da estrada de ferro, situado entre os municípios de Caetité e Ilhéus, já se encontra com sua licença de instalação. Para o governador da Bahia, Jaques Wagner, a construção da ferrovia é “um momento de glória”, a concretização de um “projeto que estava nas gavetas havia mais de cinqüenta anos. Uma obra importante, porque vai trazer muito desenvolvimento para o oeste e por todo o percurso até Ilhéus, no novo porto”.

Formatura em Salvador

No
mesmo dia às 18h, o presidente Lula participa da formatura de mil alunos - representando 281 mil – que foram alfabetizados pelo Topa. O evento será em frente à Assembléia Legislativa, no Centro Administrativo da Bahia. “Eu sei que o presidente gosta muito do programa porque para ele a educação é fundamental. Nós vamos fazer uma festa de agradecimento por tudo o que ele fez nesses oito anos pela Bahia, e não teria melhor forma de festejá-lo, senão por nosso programa”, declarou Wagner, no programa Conversa com o Governador.

Para Wagner, com os novos formandos, o governo atingiu o número de 953 mil alfabetizados, incluindo os que estão em sala de aula. Ele afirma que, no segundo mandato, o foco será “muito no ensino fundamental”, e enfatiza que a idéia é fazer parcerias entre as prefeituras e a Secretaria da Educação do Estado para que a Bahia possa superar os níveis em que ainda se encontra.

“Nós tivemos uma evolução na última avaliação - até ultrapassamos os objetivos colocados, mas isso não me satisfaz. Quero que a gente tenha um ensino fundamental igualado aos melhores do País. Esse é um desafio”, enfatiza o governador. Ele diz ainda que o outro desafio é continuar ampliando o número de vagas e universidades públicas federais – a intenção é implantar a Universidade Federal do Oeste.

Deputado cobra da Câmara votação da redução da jornada


O deputado Vicentinho (PT-SP) cobrou da Câmara dos Deputados a votação da matéria que reduz a jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais. Em Discurso no Plenário da Casa, nesta terça-feira (7), o parlamentar disse que os trabalhadores e trabalhadoras das empresas reclamam da jornada de trabalho a que são submetidos diariamente. “É muito importante que esta Casa dê uma resposta aos trabalhadores deste País”, afirmou.

Material da campanha feita pelo senador Inácio Arruda em favor dos trabalhadores

“Trata-se de assunto de extrema importância para esta Casa decidir”, disse, lembrando que “a Comissão Especial desta Casa já aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) referente a esta matéria, mas, como requer o Regimento Interno, falta o Plenário votá-la duas vezes e encaminhá-la ao Senado Federal.”

O parlamentar, que foi realtor da matéria na Comissão Especial, reforçou os argumentos usados pelo movimento sindical e especialistas de que trabalhar mais de 40 horas semanais gera doenças, estresse e até queda na produtividade e na qualidade do trabalho. E faz alerta aos empresários, que são contrários à medida, de que a redução da jornada de trabalho é benéfica para as empresas, pois estimula a qualidade e a produtividade.

“Reduzir a jornada de trabalho significa um pouco mais de tempo para desfrutar com a família, para se dedicar aos estudos, às atividades culturais e ao lazer”, reafirma o deputado, acrescentando que a maioria dos países adotam as 40 horas semanais e existem aqueles que já implantaram as 36 horas semanais.

O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), autor da PEC que reduz a jornada de trabalho, apresentada quando ainda era deputado federal, diz sempre que a aprovação da PEC é uma batalha de classe, “um confronto entre o capital e o trabalho”, por isso a dificuldade na votação da matéria. Ele destaca como a principal vantagem na adoção da medida a abertura de cerca de 2,5 milhões de novos empregos no Brasil.

Outro argumento usado pelos defensores da redução da jornada de trabalho é de que, nos últimos 20 anos, depois da última redução em 1988, os empresários foram beneficiados com um crescimento de 113% na produtividade e o custo decorrente da redução foi de apenas 1,99%.

“Muitas empresas já trabalham 40 horas por semana, mas nenhuma delas faliu por reduzir a jornada de trabalho. Ao contrário, várias geraram emprego e ganharam o respeito e a satisfação dos trabalhadores”, diz Vicentinho.

Leia mais no www.vermelho.org.br

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Minha Casa, Minha Vida nas favelas

O governo federal vai dar mais um passo para facilitar o acesso da população mais pobre à casa própria. A partir de 2011, o programa Minha Casa, Minha Vida vai poder financiar construções em terrenos pendentes de regularização , o que permitirá na prática, que o programa chegue às favelas.
As mudanças que permitem a expansão do programa habitacional constam de medida provisória publicada na semana passada no Diário Oficial da União. As novas regras beneficiarão famílias com renda abaixo de dez salários mínimos. A medida autoriza ainda a construção de áreas comerciais em condomínios habitacionais implantados pelo Minha Casa, Minha Vida. (SEEB/BA)

Hospital de Base de Itabuna

Marcha exige estadualização

O Movimento pela Estadualização do Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães (HBLEM) realiza nesta quinta-feira, 9 horas, saindo do Jardim do Ó, lançamento da campanha com uma caminhada denunciando a situação de sucateamento que se encontra o HBLEM e conclamando a sociedade civil organizada a entrar na luta pró estadualização. Os manifestantes distribuirão carta pública e adesivos para carros alusivos à campanha e realizarão uma grande manifestação na Praça Adami.
Participam do Movimento pela Estadualização do Hospital de Base de Itabuna, a CTB, CUT, entidades sindicais, estudantis e associação de moradores.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Carta dos Trabalhadores da Trifil ao SINTRATEC


Os trabalhadores da Trifil, estão sendo submetidos à uma situação desumana. O Dr. Ivo, novo médico da empresa está obrigando os operários e operárias a trabalharem mesmo quando eles não estão em condições clínicas para o trabalho.

Este “profissional da saúde” manda de volta para o trabalho funcionários com torções no tornozelo, dor de cabeça, febre alta, dores renais, problemas nas articulações entre várias outras situações que impossibilitariam exercer suas funções. Alguns trabalhadores não agüentando trabalhar preferem perder o dia e vai para casa, pois a empresa não fornece medicamentos.

O “doutor” sempre fala a mesma ladainha: “estou aqui no consultório, mas não posso fazer nada”. A recomendação é para que o empregado retorne para o setor de trabalho sem ao menos ser ministrado os medicamentos necessários.

O funcionário da Trifil tem duas opções: trabalhar passando mal sem ser medicado pelo “médico” da empresa ou ir para casa sem atestado, correndo o risco, caso prefira a segunda opção, de ser perseguido pela empresa.

O Sintratec repudia esta situação que atenta contra todas as formas da administração moderna e exige da Trifil que respeite os trabalhadores e os tratem com responsabilidade.

Esta mesma situação estava ocorrendo na fábrica da Malwee em Camacan e tudo indica que a morte de uma operária no mês passado está relacionada com a negligência do departamento de saúde daquela empresa. A recomendação para o “médico” da Malwee era a mesma da Trifil: não fornecer atestados médicos e tratar com desdém a saúde dos trabalhadores.

“O nosso sindicato está acionando o Ministério Público do Trabalho no sentido de denunciar estes tipos de desmandos praticados pelas fábricas instaladas em nossa região. O Ministério da Saúde também será informado dessas práticas da Trifil e Malwee aqui no Sul da Bahia”, afirma Jéser Cardoso, presidente do Sintratec.

Temendo represálias da Trifil, os operários e operárias que denunciaram esta grave situação não quiseram se identificar.

Jovens de 15 a 24 anos são foco de campanha contra a aids


Jovens brasileiros de 15 a 24 anos são o foco da campanha O Preconceito como Aspecto de Vulnerabilidade ao HIV/aids, que será lançada hoje pelo Ministério da Saúde para marcar o Dia Mundial de Luta contra a aids.

De acordo com dados do ministério, o grupo tem o maior número de parceiros casuais em relação a adultos e cerca de 40% deles declararam não usar preservativo em todas as relações sexuais.

O objetivo da campanha, segundo o Ministério da Saúde, é a desconstrução do preconceito sobre pessoas que vivem com o vírus HIV no Brasil, além da conscientização de jovens sobre comportamentos seguros de prevenção contra a aids.

Bruna Lopes, de 20 anos, acredita que a campanha é importante para alertar os jovens em relação aos riscos que correm ao praticar uma relação sexual sem camisinha. Ela admitiu que sente dificuldade em usar o preservativo quando está em um relacionamento que parece estável:

— A gente confia mas, na verdade, é arriscado também.

Para Silvana Pereira, de 18 anos, falta estratégia para convencer os jovens sobre a importância de se prevenir por meio da camisinha - sobretudo para meninas mais novas.

— Todo mundo já sabe, mas continua fazendo. Então, tem alguma coisa errada — disse.

Mesmo casada, Silvana faz o teste rápido de seis em seis meses.

— O problema é que confiamos nos parceiros e não usamos camisinha — afirmou. Raiane Souza, de 21 anos, confirma a versão de que o que falta mesmo aos jovens não é informação, mas responsabilidade:

— Vejo que as meninas não pensam no que estão fazendo. Muitas vezes, vamos na empolgação e, quando vemos, já foi sem camisinha mesmo.

O Dia Mundial de Luta Contra a aids foi instituído como forma de despertar a necessidade de prevenção, de promoção do entendimento sobre a pandemia e de incentivar a análise sobre a aids pela sociedade e órgãos públicos. No Brasil, a data começou a ser comemorada no fim dos anos 80.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Cozinha e lavanderia do HBLEM sucateadas


Itabuna (BA), 30 de novembro de 2010

COMUNICADO À IMPRENSA

O descaso da administração do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (HBLEM) chega a comprometer até mesmo a função a que o órgão se destina: a saúde dos funcionários, servidores, pacientes e até mesmos dos visitantes e acompanhantes dos enfermos.

Não bastasse o abandono da lavanderia há mais de um ano, agora a cozinha do HBLEM está em situação deplorável. Com menos de 50% da capacidade de funcionamento, pela falta de manutenção adequada, a cozinha praticamente deixará de funcionar em pouco tempo se não forem tomadas as medidas de reparação necessárias. A canalização do gás está comprometida; o fogão e outros equipamentos estão deteriorados.

Nesta situação de abandono, os funcionários e servidores acabam indo almoçar em casa, pois com a capacidade reduzida, a comida produzida só dá para servir aos pacientes. Quem cumpria jornada de oito horas agora cumpre expediente de seis horas para poder se deslocar até suas residências para alimentação, o que acaba prejudicando o funcionamento do hospital e precarizando o atendimento aos pacientes que necessitam de cuidados.

Assim como no caso da lavanderia, que seria consertada em um mês, e já se passou um ano, a administração do HBLEM anda prometendo os consertos para a cozinha e até agora nada. Vale lembrar que a solução encontrada para a lavandeira foi um contrato com uma empresa de Ilhéus para realizar o serviço de higienização ao custo de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) por mês.

O Sindserv faz as seguintes perguntas para a administração do HBLEM:

Até quando esse desrespeito para com a vida humana vai perdurar?

O sucateamento da cozinha vai continuar até parar de funcionar?

Os servidores, funcionários, pacientes e seus familiares merecem respeito!

SINDSERV – SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ITABUNA

FILIADO À CTB

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

rabalhoXCapital: Centrais querem que Dilma opte pela produção


As centrais sindicais demonstraram união na defesa da agenda do trabalhador. Os líderes sindicais estiveram reunidos na oficina sobre Trabalhadores e Macroeconomia, no dia 25/11, na 1ª Conferência do Desenvolvimento, promovida pelo Ipea em Brasília. Eles esperam que o governo de Dilma Rousseff decida pela valorização do trabalho contra a remuneração do capital na execução do projeto nacional de desenvolvimento.

O presidente da CTB, Wagner Gomes, se manifestou preocupado com a fala do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que deve permanecer na pasta, sobre o salário mínimo. Segundo Gomes, que recebeu apoio dos demais presidentes, com a decisão de aumentar ou não o salário mínimo para R$ 580, como querem os trabalhadores, o governo define qual o rumo que pretende dar ao governo – “se vai valorizar o trabalho ou a especulação financeira”, afirma Gomes.
“A classe trabalhadora está esperando avanços e para se avançar tem que haver mudanças na macroeconomia”, diz o presidente da CTB. Para ele, que mais uma vez teve a concordância dos demais dirigentes sindicais, “não é só erradicar a miséria que precisamos”, criticando a ajuda dada pelo governo aos bancos e empresas na época da crise econômica, que ele chamou de bolsa-crise.
O presidente da CUT, Artur Henrique, complementou a fala de Gomes, dizendo que “as centrais querem saber, na correlação de forças entre capital e trabalho, qual a parte que nos cabe nesse governo (Dilma)”. Ele reforçou o discurso da necessidade de investimentos na qualificação profissional destacando que existem 25 mil pessoas que recebem Bolsa-Família que podem ir para a construção civil desde que sejam capacitados. “A educação é pilar de qualquer desenvolvimento”, enfatizou.
A transferência de renda para os bancos, na opinião geral, é o gargalo que precisa ser transposto para garantir o desenvolvimento do Brasil com ampliação de emprego e renda. As centrais defendem a união dos trabalhadores, governo e empresários para garantir transição da estabilidade, alcançada com o governo Lula, para estabilidade com desenvolvimento.
Eduardo Rocha, da UGT, disse que para aprofundar a agenda do projeto nacional de desenvolvimento é preciso a atuação maior do Estado na economia para gerar emprego e impedir a desnacionalização da indústria, citando vários casos de empresas estrangeiras que estão comprando indústrias nacionais.
Para ele, o último a falar, “o Estado deve radicalizar a democracia com paredes de vidro para que a sociedade saiba a dinâmica e funcionamento das políticas públicas”. Segundo ele, "a sociedade é que deve controlar o Estado e não o Estado controlar a sociedade”. Acrescentou que “é inadmissível que quatro, cinco pessoas dentro do Copom [Comitê de Política Monetária do Banco Central] decida a remuneração do capital”.
União ajuda
O deputado eleito pelo PCdoB-RS e presidente do Sindicato dos Metalúrgico de Caxias do Sul, Assis Melo, disse que vai fortalecer a luta dos trabalhadores no Legislativo e que vai levantar o debate sobre a quem interesse um projeto de desenvolvimento para o Brasil sem a participação dos trabalhadores, ao mesmo tempo em que elogiou a iniciativa do Ipea de promover um evento que coloca o trabalhador como protagonista do desenvolvimento.
Os líderes sindicais também manifestaram o desejo de manter esse união na luta pelas metas dos trabalhadores. “Acabou a eleição, nós vamos voltar à nossa pauta de trabalho e negociar com o governo o aumento real do salário mínimo, redução da jornada de trabalho, fim do fator previdenciário, e Convenção 151 e 158 da OIT (Organização Internacional do Trabalho)", sustentou Artur Henrique, para quem "a experiência tem mostrado que quando estamos unidos os resultados são concretos".
Serviço:
A 1a Conferência de Desenvolvimento continua até sexta-feira (26) no canteiro central da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, com entrada franca. O evento promove um amplo debate entre os diversos setores do governo e da sociedade civil em torno das estratégias de desenvolvimento adotadas pelo país. A programação inclui um total de nove painéis temáticos e 88 oficinas, além do lançamento de livros, exposições e apresentações artísticas e culturais, abertas ao público.

Leia mais: www.vermelho.org.br

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Prefeito promete mais uma vez regularizar pendências com os servidores


Após mobilização dos trabalhadores que estavam acampados em frente à Prefeitura na semana passada, o prefeito José Nilton Azevedo (DEM), se reuniu com o sindicato, no dia 22/11, às 17 horas, no centro administrativo, e prometeu mais uma vez regularizar as pendências da campanha salarial assim como o retorno do pagamento das horas extras, comissões, adicionais e a pontuação dos fiscais. Na reunião estavam presentes, os dirigentes do Sindserv, o advogado da entidade, Dr. Alberto Ferreira, o secretário de Planejamento, Maurício Athayde e o representante da Controladoria Geral, Sr. Rubens Pirôpo.

A proposta do executivo prevê o pagamento das pendências em duas parcelas, sendo que a primeira ainda este mês e a segunda no mês de dezembro. Para o retroativo de 5,3% da campanha salarial de 2009, o prefeito afirmou que pretende realizar o pagamento a partir do mês de fevereiro de 2011. O fornecimento do vale transporte foi regularizado. O servidor que não receber o benefício deve procurar a AETU. O prefeito ainda garantiu que até o dia 02 de dezembro apresentará um projeto de mudança no decreto lei que corrige as distorções existentes na tabela de pontuação do setor Fiscalização. Para os servidores (as) enfermeiros (as), o executivo se comprometeu em vinte dias apresentar um projeto de lei que regulamenta as 40 horas.

“Esperamos que dessa vez a administração municipal cumpra o que foi acordado. O que não deve ser mantida é essa situação de arrocho nos salários e de direitos ameaçados, o que causa enormes prejuízos e insegurança na categoria”, defende Karla Lúcia, presidenta do Sindserv.

SINDSERV – SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ITABUNA

FILIADO À CTB

Leia o blog do Sindserv: www.sindservidoresctb.blogspot.com